Construção, em conjunto com a equipe de frente do cliente, do PE plurianual; avaliação do ciclo de vida que a empresa se encontra (crescimento, maturidade, revitalização, reinvenção, reestruturação); reflexão estratégica com os acionistas e diretores (empresa x sociedade x família); revisão das macro diretrizes estratégicas (crescimento, imagem, lucratividade/ rentabilidade, geração de caixa); montagem do mapa estratégico (BSC) ;  análise do alinhamento das estratégias x missão x competências; os fatores críticos de sucesso;  avaliar a produtividade e a competitividade da empresa; a sustentabilidade das vantagens competitivas; o domínio da cadeia de valor; a formulação das estratégias.

Medir o grau de implementação da estratégia (capacidade de fazer acontecer); avaliar o pensamento estratégico da direção e da equipe de frente; avaliar o comportamento estratégico do dia-a-dia; avaliar o foco da equipe; estruturação da matriz estratégica da empresa : business plan plurianual, orçamentação e gestão orçamentária, indicadores de desempenho e dashboard, plano de metas e seus desdobramentos, sistema de gestão para o atingimento das metas, avaliação da capacidade de atingimento de metas, padronização (políticas, normas, padrões), sistema de controle interno, gestão de riscos, gestão de Tributos, compliance, benchmarkings, código de conduta, gestão das competências internas (disponíveis x necessárias), estrutura organizacional a serviço da estratégia, processo de tomada de decisões.

Revisão do custo dos “processos” de produção; levantamento e quantificação das perdas e desperdícios; quantificação do itens do PNC – Preço da Não Conformidade; avaliação da competitividade da empresa nos mercados em que atua.

Elaboração da Matriz dos Custos (Diretos x Indiretos, Fixos x Variáveis); análise completa do CPV (Custo Produto Vendido) e do CPP (Custo Produto Produzido); análise da utilização da “Margem de Contribuição” como ferramenta para a otimização dos resultados; substituição de custos fixos por custos variáveis; adoção do Orçamento Matricial como forma de reduzir os custos fixos; revisão do sistema de precificação : mark-ups, tributos, juros sobre prazos de venda, descontos sobre vendas, comissões diferenciadas, etc.; metodologia para a elaboração das tabelas de preços;

Integração do Plano de Contas e dos Centros de Custos e alinhamento com o Organograma ; revisão do processo de fechamento mensal da Contabilidade e acuracidade do sistema de apuração do resultado; a contabilidade como fonte geradora de informações para a tomada de decisões que afetam o resultado.

Revisão/elaboração da política de compras da empresa; avaliação do processo de compras; habilidades de negociação da equipe; previsibilidade das compras e recebimentos; grau de dependência com fornecedores; poder de barganha da empresa com fornecedores; renegociações com os principais fornecedores; política de substituição de fornecedores e de insumos; análise dos fretes de compra e despesas adicionais; opções de importação e de drawback; análise dos tributos sobre compras e dos créditos tributários; quantificação dos custos da não-qualidade; devoluções de compras e reposições; adiantamentos a fornecedores; sistema de avaliação dos fornecedores; processo de desenvolvimento de mat. primas alternativas; desenvolvimento de novos fornecedores e política de sourcing; auditoria técnica nos fornecedores; análise dos custos ocultos de compras.

Construção ou revisão com a equipe da Controladoria de um sistema orçamentário em três partes : econômico – financeiro – contábil; implantação da gestão orçamentária através do Comitê de Orçamentação: criação da cultura orçamentária, avaliação mensal dos desvios, análises de forecast como forma de enxergar a performance futura do exercício.

Avaliação ou criação da Política Financeira; implantação da cultura da previsibilidade; avaliação da capacidade de gerar caixa; metodologia para avaliar os índices de atividade (prazo médio de recebimento das vendas, prazo médio de pagamento aos fornecedores, prazo médio de rotação dos estoques); revisão da política de crédito e cobrança; determinação do Capital de Giro x  Necessidade de Capital de Giro x Efeito Tesoura; grau de leverage financeiro; fluxo de caixa pelo método indireto; análise do plano de investimentos e seus retornos; avaliação das aplicações financeiras; gestão mensal do endividamento; práticas de reestruturação do passivo; análise dos efeitos do crescimento no caixa (overtrading); determinação do ponto de equilíbrio financeiro; mecanismos de hedge financeiro para commodities; revisão dos processos e dos controles internos da tesouraria.

Revisão do orçamento de vendas e das metas/cotas; análise da performance dos vendedores/ representantes/distribuidores; revisão da política de preços; análise dos custos e margens por produto; reavaliação do Mix de Produtos; redimensionamento do portfólio de produtos e SKUs; avaliação da força de vendas e dos canais de distribuição; custos para vender e custos para entregar; análise da OTIF e dos principais indicadores comerciais; avaliação da produtividade comercial; revisão da matriz de informações comerciais;

Revisão do plano de expansão plurianual (potencialidades x agressividade x conservadorismo); a função expansão na estrutura organizacional;  análise das armadilhas do crescimento e seus efeitos no caixa; utilização de fontes de financiamento, com avaliação das alternativas de funding; política de crescimento orgânico x crescimento não-linear; gestão do overtrading;

Avaliação ou criação da Política de Gestão de Pessoas; revisão e análise da “cultura”da empresa; aplicação de testes específicos para apurar e analisar a motivação da equipe de frente, o foco de atuação e a visão de resultados; análises e medições do nível de comunicação interna; avaliação do padrão interno de atitudes; testes do nível de resistência às mudanças; avaliação das competências internas disponíveis x necessárias e da capacidade de fazer acontecer; avaliações de desempenho funcional; política salarial e plano de cargos e salários; plano de treinamento e desenvolvimento; coaching para demandas específicos.

Quantificação dos custos fixos indiretos e correlação com a receita liquida; revisão da política e da cultura de custos fixos da empresa; análise da flexibilidade para redução de custos fixos quando da queda da receita; cortes de custos fixos nas atividades de apoio e não naquelas que geram valor; utilização do orçamento matricial e orçamento base zero (OBZ) para a gestão dos custos fixos.

Diagnóstico e identificação da fase em que a empresa se encontra para aplicação da técnica mais adequada (revitalização, reinvenção, reestruturação); planejamento estratégico especifico para empresas em crise; avaliação do potencial do passivo como elemento de negociações; definição do plano mais adequado de recuperação (administrativo, judicial, extrajudicial ); renegociação com fornecedores/credores; reestruturação do passivo bancário (com ou sem revisionais); processos de gestão interina durante a fase de recuperação; identificação de potenciais investidores ou adquirentes (M&A).

Revisão do acordo de sócios; reflexão estratégica entre os sócios (empresa x sociedade x família); pilares que sustentam a governança corporativa; análise das melhores práticas de governança; levantamento dos interesses de partes relacionadas; mapeamento dos principais riscos da empresa; desenvolvimento do regimento interno do Conselho; elaboração do caderno de informações para o Conselho.

Desenvolvimento  em conjunto com a Controladoria dos principais indicadores de gestão; para cada indicador-chave deve-se criar metas e para cada meta um plano de ação; criação de um dashboard (painel de controle) específico para a empresa; programa “forward vision” (“pensando o futuro”) para alguns indicadores: Necessidade  de Capital de Giro, Endividamento, Patrimônio Líquido, etc.

Revisão da Politica de Estoques e da cultura Just In Time; o estoque como medida da ineficiência; avaliação dos inventários fisicos e o tratamento das diferenças; análise completa do giro dos estoques; fatores que potencializam o giro dos estoques; prazo médio de rotação dos estoques; custo financeiro dos estoques; quebras de estoques; critérios de valoração dos estoques; auditoria interna de estoques.

Avaliação da performance e do perfil do Controller; gestão estratégica do caixa; painel de controles; mapeamento e gestão de riscos; auditoria interna; planejamento tributário; gestão dos estoques; GED – gestão eletrônica de documentos; organização contábil; custos & pricing;  produtividade e competitividade; benchmarkings; gestão jurídica; função compliance; gestão da T.I.

Análises da lucratividade sob a ótica da comercialização, dos custos e da motivação da equipe de frente; o lucro como decorrência do planejamento e da organização empresarial; implementação da visão de resultados; desenvolvimento de ferramentas de inteligência comercial para avaliação dos resultados.

Integração do Plano de Contas e dos Centros de Custos e alinhamento com o Organograma ; revisão do processo de fechamento mensal da Contabilidade e acuracidade do sistema de apuração do resultado; a contabilidade como fonte geradora de informações para a tomada de decisões que afetam o resultado.

Atuamos, de acordo com demandas especificas, na cogestão de empresas em situação de crise ou na fase de transição para a sucessão de empresas familiares.